segunda-feira, julho 19, 2010

I. Que a sorte voe até você.


     A menina de cabelos cacheados, olhos brilhantes e andar ritmado passeava distraída. A princípio, a sua intenção era apenas apreciar o fraco calor do sol em sua pele, naquele dia fresco. Ela passou por uma grande árvore, distanciou-se três passos, sem se quer percebê-la. Porém, o seu subconsciente capitou algo e ela, repentinamente, paralisou-se. A menininha retrocedeu os mesmos três passos; Desta vez, ela olhava atentamente para a árvore e em seu semblante havia curiosidade e entusiasmo. O surpreendente foi descobrir que o seu foco era uma borboleta, que voava entorno da árvore. A garota se aproximou e decidiu segui-la. A borboleta voava pelo campo florido e a pequena corria atrás dela, como se estivesse perseguindo a verdadeira sorte. Por instantes, a garotinha imaginou estar voando. A borboleta voou para o outro lado de um muro velho e a menina, despreocupada, pulou a mesma barreira, com o objetivo de não perdê-la de vista. Assim que ela pôs seus pequenos pés no chão deixou que a borboleta se fosse, e apenas murmurou: - espero ter sorte.

Mil beijos, Carol C=

2 comentários:

Laryssa disse...

Boa Sorte pra ela! x)
Dizem que borboletas trazem sorte! =D

paulo disse...

"O segredo não é correr atrás das borboletas... É cuidar do jardim para que elas venham até você."
Vai ver assim ela consegue rs.
bejos