domingo, agosto 29, 2010

Conjugue o verbo saber.


   Talvez você não saiba, mas durante todo esse tempo eu estive aqui embaixo observando o seu voo. Saiba que, caso você alcance o seu destino, desembarcará, de sua asa esquerda, suas petulâncias e orgulhos. E após isso, seu voo se tornará mais leve e suas manobras mais belas e eficazes... Fato esse que me deixará cada vez mais encantada. Os meus olhos fixos a te fitar, sem perder qualquer movimento seu, brilhariam como o sol, caso você se atrevesse a aterrissar ao meu lado. E se eu não possuísse a sua constante ausência, lhe pediria: – Ensine-me a voar que, em troca, ensinar-te-ei a sorrir. Porém, admito que essa seria, também, uma desculpa, com a pretensão de prendê-lo a mim, como uma tatuagem. Será que não sabes que, logo, o cansaço lhe fará companhia e o impedirá de voar, pássaro estúpido?! Eu odiaria ver o seu tombo, então, lhe peço que fique um pouco mais, e não se arrisque com tanta frequência. Mas, se a incontrolável e intrigante vontade de ser livre se manifestar em ti, então, pegue-me pelo braço e leve-me contigo. Eu adorarei experimentar o vento forte em meu rosto, o coração acelerado, mesmo que por um curto período de tempo. Confesso que durante esse tempo, te analisando de longe, eu conjuguei o verbo saber, começando por: Eu sei o quão imperfeito é você. Mas hoje, aprendi a conjugar melhor e te julgar menos – eu sei que você nunca soube, mas eu sempre estive ao seu lado.

Eu sempre fui bastante observadora, e mais uma vez escrevi uma história (essa) após observações, e mesmo que essas palavras tenham vindo e sido escritas por mim, acho que o personagem real dessa história gostaria de dizê-las. Tentei traduzir o que tal personagem parece sentir. Espero que tenham gostado do texto, o escrevi com calma, respeitando o tempo em que as palavras queriam ser escritas, e ele me passa tranquilidade. Ah, hoje é aniversário do meu irmão: Parabéns para ele, eu te amo demais Vini ! - Mil beijos.
  Carol C=

9 comentários:

Clara disse...

Liberdade todos querem, não é mesmo? Mas, tudo tem seu lado ruim, seus fardos. Quem terá coragem de arriscar e dar tudo por ela?

Quando eu era criança, meu sonho era
poder voar como uma borboleta (eu achava mais bonito que pássaro), ser livre, poder fugir para a beleza do céu quando estivesse triste. ATé hoje me emociono um pouco com tudo o que se refira a isso...

Seus comentários, são realmente tocantes, muito obrigada por me dar a alegria da sua presença no meu blog! :)

André Masoch disse...

Juro que não sei dizer o que neste momento estou a sentir. É adorável ler algo que expressa exatamente o que sinto. Coisas que não posso dizer mais. Este é um dos textos mais maravilhosos que eu ja li.

Clara disse...

Todos os textos que eu ecrevo na verdade são pra mim mesma, às vezes porque estou triste, anciosa, em dúvida. Mas, acho que no fundo meu objetivo é encontrar pessoas que se indetifiquem pra que me sinta menos só com todos esses sentimentos.

Fico realmente feliz que tenha tocado você, muito mesmo!

Grande abraço!

paulo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
paulo disse...

Andei sumido, mas voltei. E confesso que nesses dias senti falta de seus posts, de os ler.Adoro seus textos.
E irmãos, brigamos, temos opiniões controvérsias, não nos falamos por um tempo. Mas , mesmo com tudo nós os amamos. Parabéns pr ele. rs
bejos...

Mauricio Jr. disse...

Objetivo, lindo, expressivo, sutil e maravilhoso ao coração!! São essas palavras que me vêm à alma quando leio essa transliteração de expressividade vinda da inteligência cedida por Deus à minha amiga Carol!!! Deus a abençoe cada dia mais e mais... ;D

Laryssa disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Laryssa disse...

Agora nada posso realmete dizer. Prefiro calar-me do que dizer meias palavras. Seus textos tem um grande poder de deixa-me pasmas sem saber como reagir, ou o que dizer, pois faltam palavras em meu vocabulário que possam expressar minha reação.

Expetacular, essa palavra não supre o que quero dizer mas dar uma pequena nossão do que realmente gostaria de demonstrar

Elias disse...

Não leva a mal, mas você escreve muito bem.

Elogios sinceros..


Beijo